• Contato

    Obrigado!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    error key Os campos obrigatórios não estão preenchidos corretamente.

  • open panel
  • Home
  • As doenças do coração

As doenças do coração

Diariamente acompanhamos nos noticiários termos como “isquemia”, “aneurisma”, “embolia”, “avc”, “trombose”, “aterosclerose”, entre tantos outros. Mas você sabe exatamente o que eles significam? Para ter um coração saudável é importante compreender o básico das principais doenças cardiovasculares e seus impactos sobre o organismo:

Doenças cardiovasculares: Por definição, são doenças que afetam o coração e/ou o sistema circulatório que é formado pelas artérias, veias e demais vasos capilares. Geralmente o termo é utilizado como sinônimo de “doenças cardíacas”. O infarto do miocárdio é uma das diversas doenças cardiovasculares conhecidas. Veja um breve resumo dos principais tipos de doenças cardiovasculares. Você vai perceber que muitas delas estão intimamente interligadas, sendo desdobramentos de um mesmo processo: o processo de entupimento das artérias e suas consequências para a nutrição, oxigenação e bom funcionamento dos órgãos.
Infarto do miocárdio: É uma das doenças cardiovasculares mais conhecidas, popularmente chamada “ataque cardíaco”. Ocorre quando há necrose (morte do tecido) de parte do músculo do coração, devido à redução brusca do fluxo de sangue. Esta necrose ocorre por conta do entupimento das artérias (aterosclerose), que alimentam o coração com nutrientes e oxigênio. Sem esses elementos, a parte do coração diretamente atingida deixa de funcionar. O nome que se dá a esta falta de oxigenação de algum órgão pela interrupção do fluxo sanguíneo é “isquemia”.
Aterosclerose: É o processo de enrijecimento, perda de diâmetro e entupimento das artérias provocado pelo acúmulo de placas de gordura e cálcio em suas paredes. O acúmulo dessas placas costuma estar ligado a altos índices de colesterol, diabetes e hábitos como o sedentarismo e o tabagismo. A aterosclerose obriga o coração a bater mais forte para bombear a mesma quantidade de sangue para o organismo, trazendo grande desgaste para ele e criando o fenômeno da hipertensão.Num nível extremo, o entupimento das artérias impede que o sangue chegue a determinados pontos do coração, ocasionando necrose do tecido cardíaco e levando ao infarto do miocárdio. Se a interrupção do fluxo sanguíneo (isquemia) ocorrer em outros órgãos ao invés do coração (como cérebro, pulmão, rins e estômago), teremos outras complicações, como AVC´s, doença arterial dos membros inferiores e doença arterial dos rins.
Angina do peito: É a dor no peito que sentimos quando o processo de isquemia (baixo abastecimento de oxigênio) do músculo cardíaco começa a se tornar crítico, devido a um processo avançado de aterosclerose.
AVC – Acidente vascular cerebralFenômeno similar ao infarto do miocárdio, ocasionado pelo entupimento de vasos sanguíneos (aterosclerose) e a consequente falta de oxigenação do órgão, necrosando parte de seu tecido e anulando parte de suas funções. A diferença é que, neste caso, o órgão atingido é o cérebro e não o coração.
Doença obstrutiva das carótidas: As artérias carótidas são as principais responsáveis por levar sangue oxigenado ao cérebro. A doença obstrutiva das carótidas refere-se justamente ao processo de enrijecimento e entupimento dessas artérias pelo acúmulo de placas de gordura e cálcio em suas paredes (aterosclerose), podendo levar aos acidentes vasculares cerebrais – AVC´s.Os fatores de risco para a obstrução das carótidas são os mesmos da maior parte das doenças cardiovasculares: idade acima de 60 anos; fumo; hipertensão; colesterol elevado; obesidade, sedentarismo e história familiar de aterosclerose.Muitas vezes o primeiro sinal da doença é o próprio AVC. Por isso, recomenda-se a realização de exame preventivo que é o Doppler de carótidas, caso o paciente apresente algum dos fatores de risco citados anteriormente.
Doença arterial dos membros inferiores: Mesmo fenômeno que provoca o infarto do miocárdio e o AVC, mas neste caso atingindo a musculatura das pernas. As placas de gordura e cálcio comprometem as artérias que irrigam essa musculatura, trazendo comprometimento para o aparelho locomotor e, em último caso, podendo levar à amputação do membro afetado. O principal sintoma é uma sensação de cansaço crônico na perna atingida, mesmo ao realizar pequenos esforços. Hoje existem diversos medicamentos que conseguem contornar o problema sem a necessidade de uma intervenção cirúrgica. Os casos de amputação são raros.

Nos últimos anos, a cirurgia endovascular permitiu que este tratamento seja realizado através da técnica de recanalização femoral, na qual o Dr. Marcelo Ferreira e sua equipe são autores de um dos principais artigos científicos a respeito, publicado no European Journal of Vascular and Endovascular Surgery. Nesta técnica, através de uma simples punção na virilha, delicados catéteres e stents são utilizados para reabrir a artéria doente e restaurar o fluxo de sangue da perna, o que em geral trata completamente os sintomas e evita complicações graves, como a amputação de uma perna pela falta de sangue.
Doença das artérias renais: Ocorre quando o processo de obstrução das artérias acontece na região onde o sangue é levado para ser filtrado pelos rins. Sua prevenção segue a cartilha válida para quase todos os tipos de doenças cardiovasculares: cuidar da alimentação, preferindo fibras e vegetais e evitando gorduras saturadas e açúcar refinado; eliminar o tabagismo; não abusar do álcool; realizar atividades físicas 30 minutos todos os dias; medir a pressão regularmente; realizar exames de check-up periódicos ou se tiver quadros da doença na família.Seus sintomas são silenciosos na maioria das vezes, e o diagnóstico pode ser realizado através de exame preventivo do tipo Doppler ou angiotomografia.
Dissecção da aorta: A aorta é a principal artéria do nosso corpo, funcionando como um tronco que vai do coração à pélvis, ao longo do qual partem todas as outras artérias. A parede das artérias, incluindo a aorta, é composta por três camadas: a primeira, que fica em contato direto com o sangue, é chamada túnica íntima; a segunda é composta por células musculares lisas e se chama túnica média; por fim, a camada mais externa é composta por tecido conjuntivo e se chama túnica adventícia.Quando, no processo de circulação, o sangue rompe a túnica íntima e invade a túnica média, temos um quadro de dissecção. O grande risco é que, a partir disso, o sangue continue pressionando as paredes da aorta até que rompa a artéria por completo, causando uma forte hemorragia que, se não for controlada imediatamente, tem grandes chances de levar à morte do paciente.A dissecção não tem uma única causa, mas está diretamente ligada a quadros de hipertensão, aterosclerose e tabagismo, além de causas genéticas que ajudam a provocar o enfraquecimento das proteínas responsáveis pela composição da parede das artérias. Seu sintoma principal é uma dor lancinante e aguda, que se inicia no tórax e caminha em direção à coluna, de cima para baixo. Ao se buscar ajuda imediatamente, é possível controlar o quadro através de diferentes intervenções médicas, dependendo do diagnóstico detalhado do problema.
Aneurisma da aorta torácica – AAT: O aneurisma ocorre quando uma artéria se dilata, provocando rompimento ou trombose (coagulação de sangue no interior do vaso) da mesma. Nos dois casos, instala-se um quadro de isquemia (diminuição brusca ou interrupção do fluxo sanguíneo que leva oxigênio e nutrientes aos órgãos) dos tecidos irrigados pelo vaso atingido. No caso do rompimento, há ainda o risco mais grave de ume hemorragia interna.Quando um aneurisma atinge a aorta em sua parte superior (torácica), além do risco de isquemia e hemorragia, pode haver complicações como hipotensão arterial e choque hipovolêmico, levando à morte do paciente.Os sintomas do AAT são silenciosos, sendo geralmente identificados “por tabela” através de exames como ecocardiogramas e raios-X de rotina, realizados para detectar outras doenças. Sua incidência maior ocorre em pacientes acima dos 60 anos do sexo masculino e suas causas estão ligadas a problemas como hipertensão, tabagismo, doença pulmonar obstrutiva e hereditariedade.
Aneurisma da aorta abdominal – AAA: Ocorre quando o aneurisma atinge a aorta em sua parte inferior (abdominal). Em relação ao aneurisma da aorta torácica, o AAA traz um agravante, quando a ruptura da artéria ocorre com extravasamento de sangue para dentro da cavidade abdominal. Neste caso, o risco de morte é altíssimo. O AAA é uma doença silenciosa, podendo se manifestar apenas minutos ou horas antes do evento fatal. Seu diagnóstico, portanto, deve ser preventivo, feito através de exames como ultrassonografia do abdômen, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.
 
Varizes dos membros inferiores: As varizes são o equivalente do aneurisma quando ocorrem nas veias ao invés das artérias. São dilatações ou tortuosidades que comprometem o funcionamento normal do fluxo sanguíneo nas veias, gerando uma pressão contrária (de cima para baixo) neste fluxo. Como se sabe, as veias trazem o sangue “impuro” dos órgãos até o coração, num movimento “de baixo para cima”, contrário àquele percorrido pelo sangue nas artérias.Com esta pressão contrária ao fluxo natural do sangue nas veias, ele acaba ficando estagnado nas regiões inferiores do corpo trazendo sérios problemas de saúde. No entanto, por ocorrerem apenas nas veias mais superficiais, as varizes geralmente não possuem efeito tão danoso quanto os aneurismas.As dilatações e deformidades nas veias acontecem devido a uma perda de elasticidade de suas paredes, ocasionada pelo desgaste nas proteínas que formam sua estrutura. Dores, cansaço e inchaço na região afetada são os sintomas comuns das varizes e o tratamento é feito atualmente por meio de medicamentos, salvo em situações limite onde se torna necessária uma intervenção cirúrgica.
Trombose venosa profunda (TVP) e embolia pulmonar: A trombose ocorre quando um coágulo sanguíneo (trombo) se desenvolve no interior de um vaso sanguíneo. Quando este coágulo se desenvolve em uma veia profunda, temos um quadro de TVP. Se este coágulo segue na circulação até o pulmão, cria-se um quadro de embolia pulmonar, que é nada mais do que o entupimento da artéria próxima à região do pulmão, processo similar aos verificados no AVC, no infarto e nas doenças das artérias renais. Cria-se então um quadro de isquemia, onde esses órgãos deixam de ser devidamente oxigenados e nutridos pela circulação, que passa a ser deficiente na região. A diferença é que, neste caso, a isquemia é provocada por um coágulo sanguíneo e não pelo acúmulo de placas de gordura e cálcio, como verificado na aterosclerose.As causas principais da TVP e a consequente embolia pulmonar podem ser: traumas que gerem uma resposta excessiva do sistema de coagulação, doenças sanguíneas de caráter genético que predisponham à trombose e longos períodos parados numa mesma posição (tornando o fluxo sanguíneo venoso mais lento e favorecendo a formação de coágulos). Os sintomas da embolia pulmonar incluem dificuldade de respiração, dor torácica na inspiração e palpitações.O tratamento é geralmente realizado através de medicação anticoagulante, salvo em casos mais graves onde há necessidade da realização de trombólise e intervenção cirúrgica.
 

27 Respostas para “As doenças do coração”

  1. amei essa campanha, pois muitas pessoas estão morrendo por falta de informação.

     
    • dilva rosa de almida freitas
    • Responder
    • Dilva, nossa intenção é justamente levar essa! Agradecemos sua visita! Nos ajude a divulgar o site, a campanha e todas as informações, para que cada vez mais mulheres se informem sobre a importância de cuidar da saúde do coração! Abs!

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  2. eu queria saber se o coração que está com a válvula desmanchada tem cura

     
    • paulo
    • Responder
    • Olá, Paulo!

      A Dra. Viviane Veiga respondeu à sua pergunta. Segue:

      Paulo,
      existem várias alterações na válvula, que podem tanto necessitar somente de acompanhamento regular até o caso de cirurgias. É importante um acompanhamento cardiológico.

      Abs!

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  3. minha mãe teve um infarto no dia 18/12/2012, tem 57 anos e tem hipertensão, não fuma e nem bebe, e fez um cateterismo, e vai precisar fazer cirurgia pois, teve um trombo. fico tão preocupada com o estado da saúde dela, pois os médicos dizem que é gravissimo e ela vai operar na beneficência portuguesa, só está esperando sair a vaga, mas sei que tem médicos maravilhosos e vai dar tudo certo.

     
    • cristiane
    • Responder
    • Cristiane, esperamos que dê tudo certo com o tratamento de sua mãe. Conte com a gente!

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  4. gostei muito de ver este espaço que fala dos cuidados que temos que ter com o nosso coração, muito obrigado
    sou uma pessoa que ja tive um enfarto em 01/07/2012 e foi tratado na beneficencia portuguesa sp. fui muitissimo bem tratado e hoje tenho dois stents. vivo muito bem. obrigado, obrigado! jose marco

     
    • josé marco
    • Responder
    • José Marco, agradecemos o seu contato e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  5. Gostei muito. Ja estou com sessenta anos e essa informaçao foi muito importante para mim, como podera ser para todas as pessoas. Muito obrigado por publicar.

     
    • Laudivino
    • Responder
    • Olá Laudivino,

      Ficamos muito felizes em ajudá-lo a cuidar mais do seu coração.
      Ajude-nos a divulgar essas informações para que ainda mais pessoas possam ser ajudadas.

      Att.,

       
      • Patrícia Peniche
      • Responder
  6. Eu passei por duas intervenções cardio na Beneficencia, e quero lhes dizer, eles são fantasticos, são a referencia em CARDIOLOGIA em nosso País e em toda America do Sul, fui muito bem tratado e o que fizeram comigo foi perfeito: PONTE DE SAFENA em 2005 e ANGIOPLASTIA em 2011.

     
    • CICERO GONCALVES
    • Responder
    • Ficamos muito felizes com sua satisfação e depoimento, Cicero!

      Ajude-nos a divulgar a campanha para que mais pessoas possam cuidar de seus corações!

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  7. ola,
    acho muito bom essa parte que podemos falar sobre doenças
    fico muito feliz em poder ter contato com esse hospital,
    obrigada por esta atençao

     
    • creusa angela de oliveira
    • Responder
  8. estou com 57 anos e tive 2 emboliar pulmonar em 7 meses na 2ª foi colocado um filtro de veia cava, mas ainda sinto dores no peito que doi também a parte de cima das costas até o meio. Meus médicos vascular e pneumo falam que é normal, mas faço exames constantemente principalmente o RNI

     
    • Lucia Messa
    • Responder
    • Olá, Lucia!

      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!

      Segue resposta da sua pergunta, respondida pelo Dr. Claudio Rangel:

      Se você está com o filtro de cava e tomando anticoagulante corretamente, a probabilidade de novas embolias é pequena.

      Att.,

      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  9. Estou com um problema no coração, segundo alguns exames que fiz estou com o ventriculo esquerdo comprometido. Sinto muita falta de ar e dificuldade para respirar principalmente a noite e as vezes sinto dores fortes no peito. Gostaria de imformações a respeito. Não estou tomando nenhum medicamento para o problema no momento.
    Agradeço.

     
    • joao
    • Responder
    • Olá, João!

      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!

      Segue resposta da sua pergunta, respondida pelo Dr. Claudio Rangel:

      Se está com dores no peito antes de tomar qualquer medicamento consulte um cardiologista para investigar doença cardíaca.

      Att.,

      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  10. Ola, eu gostaria de saber como consigo uma consulta no beneficencia portuguesa no cardiologista, não seria pra mim e sim para um amigo, ele tem pressão alta e o coração dele está batendo devagar. me ajudem, nós estamos desesperados. Obrigado

     
    • Luciana
    • Responder
    • Luciana, você pode entrar em contato no número: 3266-3130

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  11. dr., minha filha esses dias teve uma crise muito forte de bronquite alérgica e por isso ela aumentou muito os batimentos cardíacos dela: de 160 por e os médicos ficaram muito preocupados com ela. quero saber se e preciso passar ela no cardiologista pois ela tem arritmia.

     
    • Olá, Daniella!
      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!
      Seu comentário foi respondido pela Dra. Cecilia Barcellos:
      Daniella, quando se usa broncodilatores, para tratamento de bronquite os batimentos cardíacos aumentam, mais para uma avaliação mais precisa é importante procurar um cardilogista, neste caso um cardiopediatra ou um ritmolgista (especialista em arritmias)
      Att.,

      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  12. tenho pressão alta, estou com arritmia segundo a médica do trabalho, o coração dispara até parece que vai sair pela boca, tomo propranolol. o que devo fazer?

     
    • ERITÉA MARIA DA SILVA
    • Responder
    • Olá, Eritéia!

      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!

      Seu comentário foi respondido pela Dra. Cecilia Barcellos:

      Eritéia, procure um ritmologista (especialista em arritmias) para uma avliação mais detalhada.

      Att.,
      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  13. Olá, tenho 24 anos e desde criança meu pai falou que os médicos diagnosticaram arritmia cardíaca em mim. Desde então, nada foi feito. Há quase 3 anos eu venho sentindo um desconforto no coração. Tive depressão aos 21 anos e passei por muito nervoso e stress. Hoje eu sinto um incômodo diariamente e umas ‘dorzinhas’ quando passo por algum problema tipo: preciso passar no banco pra resolver um problema e não estou encontrando o documento. Na hora bate o stress e eu sinto um mal-estar e uma dorzinha no coração. Já houve casos em que o meu coração acelerou, disparou fora do ritmo e naturalmente eu descobri que pra regularizar esse desequilíbrio, basta deitar e controlar a respiração. Doutores que me examinaram, passaram eletrocardiograma e mais um outro exame que não deu em nada. Não cheguei a fazer o ecocardiograma ou qualquer outro exame mais avançado/específico. Não tenho convênio, e quando tinha, não tinha tempo. O que eu faço?

     
    • Luiz Assis
    • Responder
    • Olá, Luiz!

      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!
      Seu comentário foi respondido pela Dra. Cecilia Barcellos:

      Luiz, para uma avaliação mais específica, você deve procurar um ritmologista (especialista em arritmias) existem exames especificos para diagnosticar estes sintomas (Holter, Looper, etc)

      Att.,
      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder
  14. boa tarde a todos, gostaria de saber o que é embolia pulmonar e o que acontece pra aparecer isso e como, pq a minha mae morreu disso já faz 4 meses. EU agradeço a vcs, um abraço.

     
    • renata cinto de andrade
    • Responder
    • Olá, Renata!
      Nós da equipe de Cardiologia do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo agradecemos o contato com nosso site e esperamos poder continuar ajudando você a cuidar da saúde do seu coração!
      Seu comentário foi respondido pela Dra. Cecilia Barcellos:
      Renata, Embolia Pulmonar é quando um trombo ( coágulo) normalmente oriundo das pernas se desprende e se aloja numa arteria do pulmão, causando a falta de irrigação sanguínea , e consequentemente a falta de perfusão e ventilação desta parte do pulmão. A extensão e a gravidade da Embolia Pulmonar vai depender do amanho area afetada por este coagulo ( que pode ser unico ou multiplos)
      Att.,
      Mayra Bortone

       
      • mayra.bortone
      • Responder

Deixe um comentário

Deixe seus dados e manteremos você informado sobre a Saúde do Seu Coração!

Nome: Email:
Idade: Estado: Cidade:
Enviando dados...
© 2014 Seu Coração
Desenvolvido por Grupo Cobram